Logo - Sesc Pantanal Estância Ecológica

Institutional

Notícias

Meio ambiente: Pantanal dá sinais de resistência

01/09/2017
Fonte: Divulgação
Foto: Divulgação

O início de setembro poderia ficar marcado como pior época do ano para a Reserva Particular do Patrimônio Natural - RRPN Sesc Pantanal. Dois focos de incêndios mudaram a paisagem pantaneira, devastando mais de mil hectares de mata, causando destruição e morte de várias espécies de animais.

No entanto, em meio à tensão causada pelo incêndio, o resgate de filhotes de tuiuiú e um novo ninho de arara azul marcam o mês da primavera como tempo de vida nova na natureza.

Resgate de filhotes de tuiuiú

O tuiuiú (Jabiru mycteria) é um dos animais símbolos do Pantanal mato-grossense, além da fantástica envergadura de suas asas que pode chegar a quase 3 metros, sua altura quando adulto alcança cerca de 1,4 metro. Um dos atrativos dos passeios de barco do Hotel Sesc Porto Cercado já há alguns anos, é um ninho que um casal de tuiuiús tem utilizado para postura dos ovos e cuidados com os filhotes. Como sua alimentação é basicamente composta por peixes, a localização do ninho é bastante favorável, por ser bem próximo à margem esquerda do rio Cuiabá, dentro da Reserva Particular do Patrimônio Natural – RPPN Sesc Pantanal.

Há aproximadamente três meses, quatro filhotes muito saudáveis ocupavam o ninho, para a alegria e encantamento dos visitantes que puderam registrar a rotina da família, mas, após uma tarde com ventos fortes, o ninho foi abaixo, derrubando todos os quatro pequenos tuiuiús. Após constatar o ocorrido, Monitores Ambientais e Guarda-parques do Sesc Pantanal se sensibilizaram com a situação e foram até o local para verificar se os filhotes haviam sobrevivido do tombo de quase 15 metros de altura. Felizmente, encontraram em bom estado, apenas com alguns arranhões.

Para examinar a prole, a Gerência de Pesquisa e Meio Ambiente do Sesc Pantanal acionou Setor de Medicina de Animais Silvestres do Hospital Veterinário da Universidade Federal de Mato Grosso, que atendeu prontamente com os Médicos Veterinários Ananda dos Santos Vieira, Renato Ordones e Paulo Ricardo Mallmann. Após os exames e orientações médicas, os tuiuiús foram levados ao recinto no Parque Sesc Baía das Pedras, onde devem permanecer por mais um mês sob os cuidados da equipe do Parque e ao final serão reexaminados para posterior soltura na natureza.

Casal de arara-azul escolhe ninho diferente para os ovinhos

Em meio a tensão causada pelo incêndio, a boa surpresa desta primavera no Parque Sesc Baía das Pedras, além da florada incrível dos ipês-rosas, foi a descoberta do local de postura dos ovinhos de um belo casal de arara-azul (Anodorhynchus hyacinthinus), eles escolheram o interior de um dos píeres do lago do Parque, no chão, onde há um canteiro com plantas. Funcionários da unidade, ao se aproximarem do local para dar início à uma reforma da estrutura, logo foram orientados a isolar a área, não para a reforma, mas sim para proteger da visitação de pessoas e de qualquer outro incômodo que pudesse atrapalhar o cuidado dos pais com as crias ainda por nascer.
Após consulta ao Instituto Arara-Azul (ITA), principal referência no Brasil quando o assunto é essa espécie, foi providenciada uma caixinha de madeira (uma gaveta reaproveitada) com serragem para colocar próxima aos ovos, para alojá-los melhor, protegendo da umidade, variação da temperatura e demais fatores que possam oferecer risco aos ovinhos, bem como proteger de possíveis predadores. “Em tantos anos de pesquisa sobre essa ave, nunca vimos esse fenômeno, nem na natureza, nem em registros na literatura, é algo bastante incomum”, relata Neiva Guedes, Diretora do ITA. Segundo a pesquisadora, esta ocorrência revela a falta de ninhos naturais na região, até porque a arara-azul faz o ninho preferencialmente em cavidades dos troncos de árvores chamadas manduvis. Especificamente a arara-azul também é especialista na hora de escolher o alimento, sendo sua dieta composta basicamente de castanha de acuri, uma palmeira muito comum em várias regiões do Pantanal.

Para que o Parque possa oferecer as melhores condições para as araras-azuis, o ninho está sob monitoramento. A equipe está de olho nos ovinhos, cuidando com atenção e fazendo o possível para que nasçam em segurança e cresçam fortes, deixando o céu do pantanal ainda mais bonito e azul.

Outras Notícias

Mais Notícias